Câncer de colo de útero e de endométrio

por | 9 jul, 2023

Por Adalberto Fernandes*

O câncer de colo é o mais comum. Estima-se que. de 1000 gestantes, de uma a doze possuem este tipo de problema. Ao contrário do que se pode imaginar, ele é geralmente é descoberto pelo pré natalista. Isso acontece porque as pacientes não fazem os exames de rotina. Algumas, inclusive, ficam anos sem ir ao ginecologista.

A justificativa? “Eu não preciso”, “Eu não tenho nada”. Quando acontece a gravidez, procuram a consulta do pré-natal e finalmente fazem os exames que deveriam ser periódicos. Portanto, muitas vezes só aí é detectada a doença.

Usualmente, o câncer de colo de utero é ocasionado pelo HPV. Os corrimentos vaginais não tratados como corrimentos causados por bactérias, protozoários, fungos, virus, também são causadores de lesões de colo de útero. Estas lesões, por fim, também podem ser percursoras do câncer de colo de útero.

Câncer

Divulgação

É preciso, evidentemente, absoluto cuidado com as lesões cancerígenas de alto grau. Devemos cuidar do pré-natal e do câncer simultaneamente. O ideal, entretanto, é sempre diagnosticar antes da gravidez.

As lesões de colo podem ser:
  • superficiais
  • profundas
  • verrucosas
  • planas

Normalmente as verrucosas são oriundas do hpv.

Como diagnosticar:
  • especular
  • colposcopias
  • captura hibrida para hpv
  • swab
  • Papanicolau
  • biopsias quando for necessário

É imprescindível que a gestante seja bem avaliada. Só assim deve ser submetida a uma possivelmente necessária biópsia de colo. É bom ressaltar que, tanto quanto for possível, deve-se deixar esta biopsia para depois do nascimento do concepto.

Temos que ter todo cuidado e procurar fazer um bom diagnóstico.

O tratamento dessas pode ser realizado por algumas das maneiras abaixo.:
  • medicamentosos
  • aplicações de ácidos
  • cauterizações
  • tratamento cirurgico
Sintomas:
  • dor as relacões
  • sangramento
  • corrimento intenso de cores diferentes e com odor característico
  • sangramento pós relação
  • dores pélvicas
  • dores ao evacuar

Podem apresentar, também, associação de infecções urinárias de repetição.

Não podemos esquecer que o câncer de colo de útero em uma gestante pode provocar o abortamento.

 

CÂNCER DE ENDOMÉTRIO

 

O câncer de endométrio, contudo, é bem mais complexo. Normalmente não acontece na gravidez e apresenta todos os sintomas descritos anteriormente. Quando suspeitamos do câncer de endométrio, portanto, devemos pedir um exame de vídeo-histeroscopia com biopsia, ressonância magnética pélvica contrastada e os marcadores tumorais que servem para também diagnosticar o câncer de colo de útero.

Diagnosticado, temos que observar se está acontecendo infiltração para a camada endometrial do útero. Caso esteja, teremos que tomar uma conduta radical quanto á patologia. Se estiver somente localizado no endométrio, podemos fazer uma ablação endometrial na tentativa de solucionar o problema e completar, caso necessário, com rádio ou quimioterapia.

Os índices de cura podem, inegavelmente, chegar a até 60%.

Por estas e outras razões, sou insistente em dizer às pacientes: Os exames de rotina devem ser feitos pelo menos uma vez. Assim como também devem fazê-los seus parceiros.

O diagnóstico precoce das doenças, das patologias, facilita em muito a cura das mesmas. Não posso dizer 100%, mas em pelo menos 95% delas.

 

*O doutor Adalberto Fernandes é médico ginecologista, obstetra e especialista em fertilização humana. Formado em 1975 pela Faculdade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, atualmente atende na Clínica Profemina.

 

Confira outros artigos da editoria OPINIÃO clicando aqui.